O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, presidente da comissão de juristas que elaborou o anteprojeto do Novo Código de Processo Civil, fala amanhã (21), no Plenário 2 da Câmara, sobre o panorama da tramitação legislativa da proposta.

As informações são do Agência Câmara de Notícias:

A Comissão Especial da Câmara que analisa o projeto do novo Código de Processo Civil (CPC – PL 8046/10) ouvirá nesta quarta-feira (21), às 9 horas, no Plenário 2, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, presidente da comissão de juristas que elaborou a proposta inicial (anteprojeto) em 2010.

Fux traçará um panorama da tramitação legislativa da proposta, que se originou no Senado e foi aprovada por aquela Casa. O Código de Processo Civil em vigor atualmente data de 1973 (Lei 5869/73).Além de ter quase quarenta anos, foi elaborado antes da redemocratização do País. A proposta busca agilizar a tramitação das ações cíveis, com a eliminação de recursos, o reforço à jurisprudência e outros mecanismos.

* * *

Conheça o projeto do novo CPC, clique aqui.

Para notas comparativas entre o CPC/1973 e o projeto do novo CPC, veja o livro Código de Processo Civil Comentado – com remissões e notas comparativas ao projeto do novo CPC.

Acompanhe o Prof. Medina no Twitter e no Facebook

***

A comissão especial elegeu seus dirigentes no último dia 31 de agosto. O presidente é o deputado Fábio Trad (PMDB-MS) e o deputado Sérgio Barradas Carneiro (PT-BA) ficou com a relatoria.

Fábio Trad explicou que a comissão realizará audiências públicas, como a de quarta feira com o ministro Fux; seminários em alguns estados; visitas oficiais; e também dará oportunidade para que uma comissão de juristas notáveis participe do trabalho, auxiliando os deputados.

Roteiro de trabalho
Nesta terça-feira (20), a comissão especial se reúne às 14h30, no Plenário 12, para definir seu roteiro de trabalho e votar requerimentos.

O deputado Bruno Araújo (PSDB-PE) disse que um calendário ideal seria a aprovação do texto já no próximo semestre. “Todos sabemos que, quanto mais o tempo passa, mais se descobrem imperfeições. Se não conseguirmos construir o ideal, o nosso propósito é entregar aquilo que seja possível para esse novo momento que o País vive”, defendeu.

fonte: Agência Câmara de Notícias.

About these ads