É necessário democratizar a democracia, afirma Daniel Aarão Reis

Época, por Daniel Aarão Reis.

A Revista Época entrevistou Daniel Aarão Reis, um dos principais historiadores da ditadura. Em 1960 Reis foi um dos militantes do Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8), e atualmente é professor da Universidade Federal Fluminense.

Quando questionado sobre os sinais da permanência da ditadura na vida nacional, Daniel Aarão Reis afirma que a ditadura desapareceu a partir de 1979, com a revogação dos Atos Institucionais. Entretanto, a Constituição de 1988 conservou vários cacos da ditadura incrustados na atual ordem democrática.Entre eles, o historiador cita  a permanência da tutela militar sobre a ordem constitucional, a vigência da Lei de Segurança Nacional, a hipertrofia do Executivo, que esmaga o Legislativo, a repressão desatada aos movimentos populares, as concepções de desenvolvimento econômico, apoiadas na cultura política nacional-estatista, a vigência da Lei Fleury, o aristocratismo de nossas elites políticas, militares e sindicais.


Reis critica os privilégios dos quais os militares dispõem. Ele os classifica como antirrepublicanos e antidemocráticos. Ele afirma, ainda, que é preciso disseminar que os militares são funcionários públicos uniformizados, e não “patrões da República”.

* * *
Acompanhe o Prof. Medina no Twitter e no Facebook

Folheie as obras do Prof. Medina: 
CF Comentada 
CPC Comentado
Código Civil comentado

Processo Civil Moderno, volumes 1, 2, 3 e 4 
* * *

O entrevistado explica como a Comissão Nacional da Verdade tem tido uma atuação positiva, sobretudo na denúncia das torturas e dos torturadores. Mas, segundo ele, enquanto as Forças Armadas não resolverem colaborar com seu trabalho, ela permanecerá fundamentalmente inócua.

Sobre o avanço da democracia e as tentações autoritárias, Daniel Aarão Reis expõe que “a tal consolidação da democracia brasileira é uma história da carochinha, um conto para boi dormir. A intolerância e as tendências autoritárias perpassam com vigor a sociedade brasileira. Querem dados? As taxas de homicídio, as de estupro, inclusive de crianças, as da violência policial, a vigência de uma assustadora homofobia, a prática disseminada da tortura e sua aceitação por amplos segmentos da sociedade. A democracia brasileira existe muito mais devido a uma equilibrada correlação de forças que devido a convicções democráticas arraigadas. Se houver uma crise grave, haveremos de ver as tentações autoritárias aparecerem com grande força no horizonte da sociedade brasileira”.

 

Por fim, o grande historiador da ditadura, afirma: ”a sociedade não deve ser cuidada pelos governantes, mas é ela, a sociedade, que deve cuidar dos governantes, controlá-los, mantê-los em rédea curta. A boa receita para superar essa situação não reside no falido liberalismo brasileiro, mas na democratização da democracia, com o reforço de perspectivas autonomistas, fundadas na auto-organização livre das gentes”.

Veja a entrevista na íntegra aqui.

Fonte: Época

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s