Observatório do Ensino do Direito analisa perfil de professores de Direito nas regiões do Brasil

DIREITO GV

O Observatório do Ensino do Direito (OED), vinculado ao Núcleo de Metodologia de Ensino da Escola de Direito de São Paulo da Fundação Getulio Vargas, analisou o perfil de vagas para professores de Direito no Brasil. Em relatório, a OED apresentou dados consolidados a respeito dos cursos de graduação em Direito e de seus respectivos docentes.

Marina Feferbaum, coordenadora do Núcleo de Metodologia de Ensino da DIREITO GV, explica que há heterogeneidade dentro de cada região do país. “O detalhamento das informações permite uma reflexão mais qualificada sobre o cenário do ensino jurídico brasileiro, ajudando a pensar sua diversidade e complexidade”, complementa Guilherme Forma Klafke, pesquisador do Núcleo de Metodologia.

O primeiro relatório foi publicado em outubro de 2013. Nele, a apresentação das médias regionais serviu para auxiliar a construção do perfil do docente de direito no Brasil. Verificou-se que o ensino do direito é exercido por homens (62%), que lecionam em uma instituição privada (83%), têm mestrado (45%), declaram-se brancos (61%) e trabalham em regime parcial (34%). Para acessar este relatório, clique aqui.

Já no segundo relatório, foram analisadas informações referentes à titulação dos professores de Direito, gênero, cor de pele/raça e distribuição geográfica dos cursos de direito (capital ou interior). Foram analisadas 40.828 vagas, baseadas no Censo de Educação Superior de 2012 (INEP).

* * *
Acompanhe o Prof. Medina no Twitter e no Facebook

Folheie as obras do Prof. Medina: 
CF Comentada 
CPC Comentado
Código Civil comentado

Processo Civil Moderno, volumes 1, 2, 3 e 4 
* * *

Foi possível observar que, na região Norte, predominam professores de direito com título de especialista, do gênero masculino, que se declararam brancos, com trabalho em regime parcial e com cursos localizados na capital e oferecidos pela rede privada.

Já no Nordeste, predominam os professores que possuem título de mestre, são pardos e do gênero masculino, e trabalham em regime parcial em cursos oferecidos pela rede privada.

Situação semelhante ocorre no Centro Oeste, onde também prevalecem os docentes do gênero masculino, com título de mestre, que trabalham em regime parcial em cursos da rede privada, mas que se declaram brancos.

No Sudeste, prevalecem as vagas para professores de direito com título de mestre em todos os Estados, assim como docentes do gênero masculino, que se declararam brancos, trabalhando para a rede privada em todos os estados.

Em relação ao número de horas dedicadas e à localização dos cursos, houve uma divisão. Enquanto no Espírito Santo predominam os docentes em regime parcial, em Minas Gerais são os docentes horistas que mais se destacam. Em São Paulo e Rio de Janeiro, prevalecem os professores que trabalham em regime integral. Já em relação à localização, apenas no Rio de Janeiro, a maioria dos cursos localiza-se na capital.

Por fim, na Região Sul, predominam os docentes com título de mestre em todos os Estados, do gênero masculino, autodeclarados brancos e docentes em regime parcial. Na região, a maioria dos cursos é oferecido pela rede privada, à exceção de Santa Catarina, e nas cidades do interior.

Clique aqui para acessar o relatório e os dados na íntegra.

 

Fonte: DIREITO GV

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s