As piores unidades prisionais brasileiras

BBC Brasil

Após o massacre ocorrido no complexo de Pedrinhas, a BBC Brasil solicitou a magistrados, promotores, ativistas e agentes penitenciários que identificassem as piores unidades prisionais no Brasil. Foram listados o Presídio Central de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, o complexo do Curado (antigo Aníbal Bruno), em Pernambuco, o presídio Urso Branco, em Rondônia, os Centros de Detenção Provisória de São Paulo – sendo Osasco 1 o mais preocupante – e a Cadeia Pública Vidal Pessoa, de Manaus, no Amazonas.

* * *
Acompanhe o Prof. Medina no Twitter e no Facebook

Folheie as obras do Prof. Medina: 
CF Comentada 
CPC Comentado
Código Civil comentado

Processo Civil Moderno, volumes 1, 2, 3 e 4 
* * *

Autor do relatório do CNJ que delatou os assassinatos ocorridos em Pedrinha (MA), o Juiz Douglas Martins declarou que a principal semelhança entre estes presídios está na superlotação, contribuindo para a estruturação e centralização  de facções criminosas. Esta condição possibilita a réus que cometeram crimes menores um contato direto com criminosos perigosos.

Para o Padre Valdir João Silveira, da Pastoral Carcerária, é notório que “O abandono do Estado obriga os presos a se organizarem para poder sobreviver no presídio”. Conjuntamente acusa que “O Estado não cumpre o que está na lei de execução penal em relação aos cuidados mínimos com saúde, alimentação, trabalho, assistência jurídica. Ele joga atrás das grades a população pobre, que precisa de apoio e quem oferece o apoio justamente é o tráfico, a facção”

Veja a íntegra da reportagem aqui.

Fonte: BBC Brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s